26º Aniversário da CPLP

Por ocasião da comemoração do vigésimo sexto aniversário da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, celebrado ontem, 17 de julho de 2022, a Estrutura de Missão para as Relações com a CPLP associa-se às comemorações desta efeméride, expressando nesta ocasião três sentimentos muito profundos.

O primeiro é de regozijo. Regozijo, pelo caminho até aqui percorrido por esta organização internacional, única e insubstituível na sociedade internacional. Única, porque sendo geograficamente dispersa, congrega mais de 240 milhões de cidadãos que, na diversidade, partilham a mesma língua, a mesma cultura e os mesmos valores da liberdade, da democracia e da proteção inegociável da dignidade da pessoa humana. Insubstituível, porque num mundo com desafios cada vez mais exigentes para a afirmação destes valores, reafirma o multilateralismo como a única solução para a resolução dos conflitos internacionais e a cooperação internacional como o caminho adequado para ultrapassar desafios tão complexos como a recuperação económica, as alterações climáticas ou as desigualdades sociais que o século XXI nos trouxe.

Mas também de esperança. Esperança, no caminho que há por fazer, que temos de fazer em conjunto, e que inegavelmente mereceu um forte impulso neste ano de 2022 com a celebração do Acordo sobre a mobilidade no interior da CPLP que permitirá a criação de um espaço de total liberdade de circulação dos cidadãos da Lusofonia e um inegável reforço dos laços entre os povos desta Comunidade.

Por fim, o nosso sentimento é também de responsabilidade. Responsabilidade de assumirmos, firme e convictamente, o nosso estatuto de observador consultivo da CPLP de pleno direito, e podermos assim contribuir para esta Comunidade com um novo impulso à nossa participação que, estamos convictos, ocorrerá já durante este ano de 2022. Foi assim, com alegria e incontido ânimo, que escutámos as palavras do Senhor Secretário Executivo da CPLP que, por ocasião deste aniversário e a propósito do citado Acordo de mobilidade, sublinhou a necessidade de uma “estratégia renovada assente na circulação de conhecimento e intercâmbio académico” como um desafio para os anos vindouros.

É neste contexto, e com estes sentimentos, que, assumindo o seu papel único, fundacional e vocacional para a Lusofonia, a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias assinala e celebra o vigésimo sexto aniversário da CPLP, afirmando o seu compromisso inalienável com a Lusofonia e com a Comunidade dos Países Lusófonos de Língua Portuguesa.

 

Professor Doutor José de Faria Costa

Professor Nuno Magalhães

 

  • Português
  • English